Embalagens para alimentos, qual utilizar no Novo Normal? Deixe um comentário

Por Ivim Pelloso e Juliana Mamprim:

Sabemos que há muitas exigências para nos adaptarmos a todas as necessidades do “novo normal” e a categoria de embalagens é uma delas.

Entregar uma nova perspectiva ao consumidor é o ponto principal. Digo isso, pois quando o cliente vai ao restaurante, ele vivencia a experiência que o local tem a proporcionar, como o ambiente, conforto térmico e acústico, o atendimento, o cheiro, a montagem do prato, as características sensoriais do produto, o aconchego. Ao pedir o mesmo produto em sua casa, a experiência da vivencia no local não será possível e toda a sua expectativa estará única e exclusivamente no alimento. Este precisa ser entregue quente, em mono porções, com as características organolépticas do produto preservadas, com embalagens atrativas e inteligentes, onde a inserção de informações pode ser feita de forma espontânea e divertida, como no caso da cerveja Leuven e do leite Ninho da Nestlé que apresentam suas embalagens em realidade aumenta, desenvolvida pela @flexinterativa.

Cerveja Leuven e Leite Ninho Nestlé – Realidade Aumentada nas Embalagens

A Predilecta Alimentos já possui um QR code (código de barras bidimensional) em suas embalagens, onde ao utilizá-lo, o consumidor já é direcionado a uma plataforma sobre sustentabilidade.

A entrega do produto via delivery precisa envolver e conquistar o cliente, para que a sua experiência seja a mais agradável possível, comparada com a sua experiência vivenciada anteriormente no restaurante.

Como já citei a inovação de embalagens para um novo consumo é necessária e as indústrias já estão se moldando para tais adequações, visto que foi publicada uma nova legislação, onde é apresentada a lista de aditivos e adjuvantes poliméricos para a fabricação de materiais plásticos que entrarão em contato direto com o alimento e os limites da composição do material, conforme nos orienta a RDC nº 326, de 03 de Dezembro de 2019 – da ANVISA (¹).

O objetivo é entregar embalagens lacradas e bem protegidas, com mais qualidade e econômicas, onde proporcionam praticidade ao dia-a-dia dos usuários. As preocupações com a sustentabilidade e a saudabilidade também estão sendo colocadas em prática nas novas embalagens para o chamado “novo normal”.

A sustentabilidade também é um ponto bem importante a ser praticado. O grande desafio é o aumento da demanda da coleta seletiva (reciclagem).

Materiais biodegradáveis como amido de mandioca, amido de milho e bagaço da cana-de-açúcar são ecologicamente corretos, sustentáveis e estão sendo a escolha de muitas indústrias para que tragam soluções ao que chamamos de epidemia global de plásticos (²).

Bowl 240 ml feito de bagaço de cana-de-açúcar

As embalagens familiares estão ganhando mais força no consumo por conta da quarentena da pandemia do COVID-19, em razão que muitas pessoas estão realizando suas atividades em casa, com a modalidade de trabalho em home office.

As indústrias também estão incorporando melhores Práticas de Fabricação (BPF) em seus produtos, garantindo ao consumidor final que nenhum tipo de produto seja entregue contaminado.

Empresas como Tetra Pak, Cargill e Predilecta, perceberam que seus usuários desejam embalagens práticas, onde o armazenamento do produto em refrigeração em sua própria embalagem seja possível após a sua utilização.

Ações como a da Tetra Pak, líder mundial em soluções para processamento e envase de alimentos, em parceria com o Museu Catavento, localizado no Município de São Paulo, criou um espaço interativo no local onde as crianças aprendem sobre a importância da reciclagem, despertando assim, um novo olhar sobre a notoriedade da preservação ambiental. A mesma empresa também adotou a causa e ajuda os catadores autônomos de materiais recicláveis.

Museu Catavento em parceria com a Tetra Pak inaugura espaço interativo em São Paulo durante o mês de férias

A Unilever, por exemplo, tem a preocupação na circularidade do plástico, afim de fazer com que o material retorne para se transformar em uma nova embalagem.

Com todos esses exemplos que pudemos observar no webinar “Novas embalagens para um NOVO consumo” (³), onde foi ministrado pela Food Conection – Fispal Food Service, com colaboradores de diversas empresas, percebemos que a redução do volume de embalagens descartadas no meio ambiente e a educação do consumidor são os principais desafios a serem atingidos.

 

Obrigada e até a próxima!

Juliana Mamprim – Nutricionista Comercial da @fsone_bi

Ivim Pelloso – Sócia da FSone e Fundadorada  KITCHAIN

Cel. (11) 98335-9252

 

Referências:

1 – https://foodsafetybrazil.org/nova-legislacao-material-plastico-alimentos/ – Nova legislação de material plástico para contato com alimentos – sua empresa já se adequou? Acesso em 10/06/2020.

2 – https://vegmag.com.br/blogs/meio-ambiente/caixinhas-feitas-a-partir-de-bagaco-de-cana-e-sacolinhas-a-base-de-mandioca-sim-ja-existe – Embalagens e Descartáveis feitos com bagaço de cana e mandioca – Acesso em 10/06/2020.

3 – https://www.youtube.com/watch?v=V39mWKeEivs – Novas embalagens para um NOVO consumo.  – Acesso em 10/06/2020.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *